Ministry of Health of the Federative Republic of Brazil

06/17/2024 | Press release | Distributed by Public on 06/17/2024 17:13

Três vilas afetadas pelas enchentes recebem atendimentos da Força Nacional do SUS

Notícias

RIO GRANDE DO SUL

Três vilas afetadas pelas enchentes recebem atendimentos da Força Nacional do SUS

Equipes atuam em parceria com o SESI e a UBS local para oferecer atendimento médico e psicológico às vilas Asa Branca, Santo Agostinho e Elizabeth
Publicado em17/06/2024 20h03Atualizado em17/06/2024 20h04

Foto: divulgação/MS

Após 34 dias de danos causados pelas enchentes severas que atingem o Rio Grande do Sul, três vilas gaúchas começaram a receber esta semana os atendimentos da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (FN-SUS). Moradores das vilas Asa Branca, Santo Agostinho e Elizabeth estão sendo atendidos em tendas que oferecem uma gama completa de serviços de saúde, desde atendimento clínico e odontológico até a vacinação e renovação de receitas médicas. A estrutura foi montada em parceria com o Sesi e o apoio da Unidade Básica de Saúde (UBS) local.

Como as vilas ficaram praticamente submersas, os moradores estão retornando agora aos locais e têm nas tendas o primeiro ponto de atendimento disponível na área. "Muitos perderam suas receitas e medicações durante a enchente, aumentando a demanda por renovação de prescrições e fornecimento de medicamentos básicos para hipertensão e diabetes", explicou Samantha Santana, enfermeira da Força Nacional do SUS.

José Bruno Martins Cardoso, médico da FN-SUS, explicou que, além dos serviços médicos, há um foco na prevenção de doenças como leptospirose e dengue, comuns após as enchentes. "A busca ativa por acamados e pessoas em processo de reconstrução de suas vidas é uma estratégia importante para evitar que esses indivíduos busquem ajuda tardiamente", disse.

Saúde mental

Além do atendimento médico, foi disponibilizada ajuda psicológica para lidar com os traumas causados pela enchente. "A chegada de psicólogos visa oferecer o suporte necessário para a recuperação emocional dos afetados, que carregam as marcas da tragédia tanto em suas casas quanto em suas memórias", afirmou o enfermeiro Rhonnyckson Thayllon Silva.

João Moraes
Ministério da Saúde

Categoria
Saúde e Vigilância Sanitária